Nota de Esclarecimento – Site Gaycities

Em resposta à publicação do site https://www.gaycities.com que publicou  a clissificação dos 5 lugares que devem ser evitados pelos LGBTs ao planejar férias em que o Brasil fica em primeiro lugar, a Câmara de Comércio e Turismo LGBT do Brasil vem a público esclarecer:

Com todo respeito que temos ao site e a Dan Renzi, temos que discordar da classificação do Brasil. Vale lembrar que em alguns países a homossexualidade pode ser punida com pena de morte e em outros com prisão. E como esses países podem ser mais adequados ao turista LGBT que o Brasil? Só este dado já é suficiente para colocar o ranking sob suspeita.

Alguns pontos levantados, como os dados de crimes contra LGBTs, absurdos ditos pelo governo federal sobre direitos dos LGBTs, declínio da economia, desmatamento e queimadas na Amazônia, além da desvalorização do real frente ao dólar são verdadeiras, no entanto, não são suficientes para colocar o Brasil como o primeiro país a ser evitado pelos turistas LGBTs.

É necessário muito cuidado ao analisar dados, principalmente quando se traça parâmetros comparativos. O erro da publicação é usar os problemas citados acima sem analisar países com problemas muito superiores ao nosso país. O erro cometido nos parece que a publicação analisou as declarações e medidas descabidas do governo federal que coloca o País na imprensa mundial diariamente, fazendo com o que os brasileiros e o mundo tenham vergonha alheia.

O Ministério do Turismo e a Embratur abandonaram o turismo LGBT, o retirando do plano nacional do turismo e não reeditando a cartilha “Dicas para atender bem o turista LGBT”. Além disso não cumprem o acordo de cooperação assinado entre a Câmara LGBT, Mtur e Embratur e que tem validade até junho de 2023 e que visa a promoção do turismo LGBT dentro e fora do País, além de não avançarmos em um plano de trabalho previsto pelo acordo.

Mesmo com essas informações negativas, o Brasil não merece estar na primeira colocação de destino a ser evitado. Até porque a Câmara LGBT, entidades nacionais e internacionais parceiras, associados e empresas comprometidas com a diversidade têm trabalhado incansavelmente para buscar um ambiente mais inclusivo.

Na última semana de agosto, a Câmara promoveu a 3ª Conferência Internacional da Diversidade e Turismo LGBT reunindo 18 convidados e speakers internacionais, 12 nacionais, 5 destinos nacionais, 9 destinos internacionais, 24 apoiadores institucionais nacionais, 13 apoiadores institucionais internacionais, além de reunir participantes de 16 países, além do Brasil.

O painel de abertura do dia do turismo da Conferência trouxe o tema “Cenários e caminhos do Turismo LGBT No Brasil”. Os painelistas Fausto Franco, Secretário de Turismo da Bahia, Marcelo Costa, Secretário Executivo de Turismo do Estado de São Paulo e Junior Fagotti, Secretário Adjunto de Turismo da cidade de São Paulo, mediados por Ricardo Gomes, Presidente da Câmara de Comércio e Turismo LGBT do Brasil, debateram as metas de estados e municípios para impulsionar o turismo LGBT.

Os secretários se colocaram à disposição da câmara para que juntos desenvolvam um trabalho conjunto, uma vez que a entidade já tem acordo de Cooperação com a Secretaria de Turismo da Cidade de São Paulo.  Ao final do painel foi assinado documento com a Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo e se iniciou as tratativas para um acordo entre a Câmara LGBT e a Secretaria de Turismo do Bahia.

Durante o evento, Marcelo Costa e Junior Fagotti anunciaram que pretendem em conjunto com a Câmara LGBT, organizar e disponibilizar, não só para São Paulo, mas para todo País, a cartilha direcionada ao trade turístico com informações de como receber adequadamente o turista LGBT.

Outra prova que os destinos estão se descolando da visão retrógrada do governo federal é que a cidade de São Paulo iluminou com as cores da Bandeira do Orgulho LGBTI+ durante a Conferência, o Prédio da Prefeitura, Ponte Estaiada e O Viaduto do Chá, além do Tetro Municipal ter estendido quatro bandeiras gigantes do orgulho.

A americana Dana Piccoli, consultora de mídia da Olivia Travel, uma das speakers da conferência saiu em defesa do Brasil, e não concordou com o Gay Cities. “Eu me senti mais insegura como uma mulher Queer em partes dos EUA do que em São Paulo. É uma pena que este artigo pinte o Brasil de uma forma que não condiz com sua realidade”.

Já Mag Cale, editora do Blog de Viagens https://dopesontheroad.com/ – que esteve no Brasil pelo segundo ano consecutivo para a conferência foi mais longe: “Vou ter que discordar totalmente do Gay Cities. Como alguém que visitou muitos destinos anti-LGBT, devo dizer que o Brasil nem seria o meu top 70 piores lugares para pessoas LGBT. No Brasil tem adoção por casal LGBT, casamento, liberdade de servir nas forças armadas e proteções explícitas a não discriminação LGBT em todo o país. Os EUA nem sequer têm os dois últimos. Eu costumava abordar todos os destinos de viagem pela lente da justiça social porque minha formação é em política e ativismo. Mas quanto mais eu viajo, mais percebo que o mundo não está separado em categorias organizadas de bom e ruim. Todo país tem falhas – e todo país tem pessoas e cultura dignas de experimentar de uma maneira ou de outra”.

O Brasil tem a maior parada do orgulho LGBT do planeta e a edição deste ano foi classificada pela prefeitura de São Paulo como a que mais impulsionou a economia e ainda os LGBTs elegeram a edição de 2019 como a melhor em termos de estrutura, sinalização e segurança.

Com todos estes apontamentos, a Câmara de Comércio e Turismo LGBT do Brasil discorda totalmente da análise feita pelo site Gay Cities, que certamente por pura desinformação, erroneamente classificou o Brasil como o primeiro destino a ser evitado pelo público LGBT.

A Câmara de Comércio e Turismo LGBT do Brasil, entidade que defende e promove o empreendedorismo,  a empregabilidade e o turismo de e para a comunidade LGBTI+ no Brasil, reafirma seu compromisso com a  geração de renda  e o combate à crise econômica e  institucional no País. Reafirmamos nosso compromisso com o  Turismo LGBT.

Atenciosamente,

Ricardo Gomes
Presidente
André Raynaud
Diretor de Turismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *