Ilhas Seychelles anuncia que está livre da Covid-19

Após nove semanas lutando contra a pandemia de Covid-19, Seychelles – destino de férias no Oceano Índico – agora é Covid-19 Free e não tem mais nenhuma ocorrência da doença em seu território. O país, que teve um número total de 11 casos, anunciou que o último paciente infectado testou negativo por vários dias e está considerado curado.

A pandemia da Covid-19 alcançou Seychelles em março de 2020, quando o anúncio dos dois primeiros casos foi feito no dia 14. O número de casos na ilha aumentou lentamente durante as três semanas seguintes e atingiu seu pico em 6 de abril, quando o 11º caso foi confirmado, incluindo os únicos dois casos locais transmitidos, após os quais não houve outros casos positivos relatados nas ilhas.

Por trás do tratamento bem-sucedido da situação, resultante dessa pandemia, está a Autoridade de Saúde Pública, sob a supervisão do Comissário de Saúde Pública de Seychelles, Dr. Jude Gedeon. A equipe de saúde pública reagiu de forma rápida e eficaz para estabelecer protocolos de emergência sob as orientações da OMS, para tratar os casos ativos e coibir a disseminação do vírus em sua população. Provisões para instalações de quarentena e uma equipe de resposta rápida foram criados a partir do momento em que a OMS declarou a Covid-19 uma pandemia.

Após a detecção da última pessoa infectada e agindo de maneira preventiva para conter a inflação dos números no país, uma ordem de proibição de viagens imposta pelas autoridades entrou em vigor à meia-noite de quarta-feira, 8 de abril, restringindo o movimento para os cidadãos, exceto trabalhadores essenciais. Esta medida foi mantida por 21 dias.

Em 28 de abril, o presidente de Seychelles, Danny Faure, anunciou a suspensão das restrições à circulação de pessoas a partir de 4 de maio, e das restrições de viagens em 1° de junho, quando o Aeroporto Internacional de Seychelles será reaberto.

No momento, Seychelles está livre da pandemia de Covid-19 e as autoridades seychellois permanecem em alerta máximo para qualquer eventualidade. A Autoridade de Saúde Pública, juntamente com outras organizações, está trabalhando duro para manter cidadãos, expatriados e visitantes a salvo da pandemia.

Conforme anunciado pelo presidente em 28 de abril, os visitantes e residentes que retornarem a Seychelles serão submetidos a medidas impostas pela Autoridade de Saúde Pública, incluindo quarentena obrigatória de 14 dias.

Falando sobre o destino estar livre da Covid-19, o Ministro de Turismo, Aviação Civil e Portos, Didier Dogley, declarou que o trabalho realizado pelas autoridades de saúde foi excepcional e permitiu que as partes interessadas do Turismo voltassem a planejar a chegada dos visitantes.

“Como a situação em todo o mundo permanece precária, é uma bênção para nossa pequena nação ter conseguido conter a propagação da Covid-19 em nossas costas. Como destino, essa é uma grande vantagem de Seychelles. Há muito trabalho preparatório com nossos parceiros para garantir que Seychelles envie uma mensagem forte de ser um destino seguro. Quando o mundo se abrir e as pessoas começarem a viajar, a segurança em relação à COVID 19 será um fator importante para os visitantes que planejam sair de férias”, disse o ministro Dogley.

Ele mencionou ainda que, com a abertura do aeroporto em 1º de junho de 2020, Seychelles estará em uma posição muito forte para se vender como um destino seguro, algo que a maioria dos turistas anseia depois de ficar confinado em suas casas por meses.

Composto por 115 ilhas espalhadas pelo Oceano Índico, na costa leste da África, o arquipélago de Seychelles possui uma vegetação exuberante e uma beleza natural intocada. Todos os casos foram relatados e tratados em Mahé. Não foram relatados casos nas ilhas de Praslin, La Digue, Silhouette Island ou Ilhas Exteriores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *