Revista ViaG realiza live para discutir turismo LGBTI+ no MS

Na tarde desta terça (9), seria realizada a 4ª edição do Fórum de Turismo LGBT do Brasil, em São Paulo, que teve que ser adiada por conta da Covid-19. Para marcar a data, a Revista ViaG promoveu uma sabatina ao vivo com Bruno Wendling, Diretor-Presidente da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul. A entrevista, comandada pelo Alex Bernardes, contou com a presença dos jornalistas JP Polo, Otavio Furtado (Diretor de Comunicação da Câmara LGBT do Brasil) e Emerson Maranhão.

A conversa foi dividida em três tópicos principais: como vai ser a retomada na região, turismo LGBT e o legado que vai ficar para o destino. De acordo com Bruno, Mato Grosso do Sul, por ser um destino de ecoturismo e de aventura, já está preparado para a retomada:

“Por ser um destino de aventura, antes mesmo da pandemia não trabalhávamos com grupos grandes de viajantes e sim pequenos grupos, o que vai ficar mais fortalecido neste novo normal. Com isso, acredito que o estado já está pronto para essa retomada e atento às recomendações de segurança sanitária. Então, vamos fortalecer a comunicação com o objetivo de buscar novos turistas. Além disso, já havíamos começado um trabalho de segmentação do nosso público-alvo para ter uma comunicação mais direta e assertiva”.

Na entrevista, quando o assunto foram os protocolos sanitários, prática que vem sendo o primeiro item a ser discutido entre os destinos, estabelecimentos e hotelaria, Bruno afirma que o Mato Grosso do Sul vai unificar os protocolos do Ministério do Turismo e também os locais, para realizar uma triagem dos dados, garantindo que a informação chegue de forma uniforme e clara para todos os segmentos.

Ele acredita que a fiscalização dos estabelecimentos ficará por conta dos próprios viajantes. As pesquisas mostram que com a pandemia, as pessoas estão mais conectadas, exigentes e criteriosas. Segundo Bruno, “os viajantes poderão avaliar os estabelecimentos, por exemplo, através de QR Code, com notas de 1 a 5”.

Outra estratégia de comunicação abordada para chegar até o consumidor final, os viajantes, é o foco total nas mídias sociais: “A equipe de Inteligência de Mercado que trabalha com a gente tem o papel de interpretar quem é esse novo consumidor final para melhor comunicarmos o nosso processo de reabertura e como vai ser o turismo daqui pra frente. Além de divulgar o que tem de belo na região, é preciso mostrar que estamos atentos às regras e novos protocolos”, afirma Bruno.

Especificamente sobre o público LGBTI+, Bruno afirma que a região é extremamente receptiva, tanto que menciona, com orgulho, o prêmio de 2018 sobre “Estado mais Hospitaleiro”.

“Nessa votação, tinham turistas do mundo inteiro e o público LGBTI+ fazia parte dela. O setor de turismo é bem aberto, não pode ter esse tipo de preconceito. O que precisamos é realizar uma imersão, cada vez mais, nesse segmento para trazer novas iniciativas e entender o perfil desse público que traz muito retorno para o turismo. Dessa forma, queremos fazer com que o MS se configure ainda mais como um destino lgbt friendly, com campanhas criadas para esse público e que sejam durante todo o ano”, conta.

Como legado, o empresário aponta que o trade precisa e pede capacitação, ou seja, trabalhar a governança vai ser fundamental para ajudar a fortalecer a reputação e mantê-la firmemente.

“Quando falo Governança, falo de capacitação para manter excelência nos serviços e nas ações do segmento. É preciso saber como as empresas também querem aturar com o nosso setor, pois todos os lados vão ganhar assim. É necessário mostrar a importância do turismo e também do turista LGBTI+. Estou comprometido e focado nesse mercado que, apesar do governo federal apresentar entraves, posso contar com apoio dos estados para seguir na luta por um turismo diverso e inclusivo”, afirma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *