Presidente da Câmara LGBT, Ricardo Gomes, participa de live sobre incentivos ao turismo LGBT no Brasil

Na noite desta quarta, 9, o presidente da Câmara LGBT, Ricardo Gomes participou de uma live com Hamilton Vasconcellos, advogado e membro do Conselho Estadual de Turismo do Rio de Janeiro, em que discutiram as maneiras de incentivar o turismo LGBT no Brasil. 

O turismo LGBT é um dos que mais importantes para o mercado mundial. Na lista dos países que mais movimentam o setor, estão os EUA em 1° lugar, seguido por Brasil e Japão. Em uma recente pesquisa realizada pela IGLTA, foi possível notar que o público LGBT é o mais propenso a viajar este ano, principalmente pelo país em que mora. 

“Durante a pandemia, por terem saído algumas pesquisas sobre o turismo LGBT, diversas empresas e destinos voltaram ainda mais a sua atenção para o público LGBT. Porque, neste momento de retomada, o principal foco é o turismo nacional, a curtas e médias distâncias. Por ser o grupo mais disposto a viajar neste momento, os destinos, hotéis e empresas resolveram prestar atenção nesse turista e saber como podem ser mais receptivos”, conta Ricardo Gomes.

Uma das formas de incentivar o turismo LGBT no mundo são as Paradas do Orgulho LGBT, tendo em vista que são responsáveis por reunirem diversos turistas nos locais onde são realizadas. Apesar do Rio de Janeiro ter sido a primeira cidade a receber a Parada no Brasil, São Paulo é palco da maior do mundo, onde consegue reunir mais de 3 milhões de pessoas em um fim de semana prolongado, já que costuma acontecer no feriado de Corpus Christi.

“Infelizmente, esse ano as grandes paradas não puderam acontecer devido à pandemia. Mas não podemos esquecer que a de São Paulo, por ser a maior do mundo, no último ano conseguiu movimento cerca de 400 milhões de reais em único fim de semana. A cidade neste período vibra diversidade e acontecem diversos eventos paralelos em prol da celebração. Por ocorrer em um feriado, atrai turistas do país inteiro e até mesmo do mundo, ficando somente atrás da Fórmula 1”, afirma Ricardo.

 O presidente da Câmara ainda conta que “o evento atrai também o público hétero, representando muito mais que apenas ganhos financeiros, mas sim uma nova oportunidade para trazer à luz a discussão sobre a diversidade, além da busca por uma sociedade mais inclusiva e menos preconceituosa”.

Durante a conversa, ambos os convidados ressaltaram a importância de ter também o trade turístico mais bem preparado para receber o turista LGBT. Para Hamilton, “as Paradas, por exemplo, acabam sendo uma excelente oportunidade para explorar essa preparação do setor, porque vai reunir não só turista LGBT, mas o turista hétero que também está cada vez mais participativo”.

Ao final, o presidente da Câmara reforça que a sociedade precisa aprender, cada vez mais, a viver em uma sociedade diversa. “Apesar de termos uma evolução grande, temos também um retrocesso. É claro que se olharmos para trás, há 4 anos, diversos hotéis não aceitavam hospedar o público LGBT, tampouco perguntavam como gostariam que fossem chamados. Hoje, isso é minoria, mas ainda ocorre. Infelizmente, temos empresas com pensamento LGBTfóbico. Atualmente, o check-in é feito sem nenhum tipo de problema, além de sempre ser perguntado o nome social. Isso mostra como estamos evoluindo, mas ainda temos muito para caminhar. Afinal, a raça humana é plural e precisamos aprender a conviver com essa pluralidade. E é isso que faz com que um destino seja amigável ao turismo LGBT, a forma como ele trata o próprio morador e como abraça a causa da diversidade”, finaliza Ricardo. 

 

 

Matéria escrita por
Amanda Santiago
Jornalista do Comitê de Comunicação da Câmara LGBT do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *