Lançado o Dia Mundial do Turismo LGBTQ+

Pela primeira vez, o Turismo LGBTI+ vai ser comemorado com uma data própria. No dia 10 de agosto, próxima segunda, vai acontecer uma celebração na Argentina, Brasil, Canadá, EUA, Espanha, Costa Rica, Paraguai, Uruguai, Israel, Itália e Reino Unido para conscientizar a população mundial sobre o Turismo LGBTI+ e sua importância para a sociedade. A Câmara de Comércio LGBT da Argentina (CCGLAR), idealizadora do Dia Mundial do Turismo LGBTQ+, assim como a Câmara de Comércio e Turismo LGBT de Brasil, apoiadora do lançamento, procuram promover um turismo mais inclusivo e diverso, além de mais responsável, sustentável, seguro e acessível.

Neste Dia Mundial do Turismo LGBTI+, vão acontecer cerimônias, declarações e atividades com o tema “Solidariedade hoje, para viajar amanhã”. A escolha da temática, que mudará anualmente, se deve à resposta da Organização Mundial do Turismo à crise mundial por conta da pandemia.

Segundo dados da pesquisa realizada pela IGLTA, International LGBTI+ Travel Association, o público LGBTI+ será o mais propenso a retornar às viagens no momento pós-pandemia. Este setor contribui na economia, na geração de emprego e nos direitos das pessoas LGBTI+ em cada um dos países que promove o turismo.

A partir deste ano, o dia 10 de agosto entra no calendário dos países que recebem turistas LGBTI+ para conscientizar às pessoas da importância de tornar o turismo uma atividade mais inclusiva, tendo em vista que 1 em cada 3 países ainda criminaliza a homossexualidade. O Dia Mundial do Turismo LGBTQ+ também irá homenagear o “The Address Book“, primeiro guia de turismo LGBTI+ que se tem registro na história, criado, em 1965, pelo Bob Damron, importante figura que ajudou a moldar esse segmento. Dessa forma, Damron tornou-se o pioneiro do meio e pôde ser considerado como uma verdadeira ponte que conectou esse público às experiências de viagens seguras, pois, assim, os viajantes puderam chegar aos destinos sem preocupação e ainda com uma recepção calorosa e genuína.

Matéria escrita por
Amanda Santiago
Jornalista do Comitê de Comunicação da Câmara LGBT do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *