É preciso ver a capacitação do turismo como política pública

O coordenador de turismo LGBT Brasil na IGLTA e executivo comercial da Câmara lGBT, Clóvis Casemiro, iniciou a mediação do painel ”A importância da capacitação no atendimento ao turista LGBT”, no segundo dia (18/11) da 4ª edição da Conferência Internacional da Diversidade e do Turismo LGBT, com uma celebração aos vereadores LGBTs eleitos no último domingo (15/11), como forma de firmar a importância da existência de políticas públicas no processo de capacitação dos profissionais de turismo.

Ao concordar com a fala de Casemiro, a pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP) e presidente do Conselho de Turismo da Fecomercio, Mariana Aldrigui, criticou a maneira em que os órgão públicos lidam com o turismo no país: ”Em termos de turismo, parece que a gente anda olhando pro retrovisor. Inverteram o carro do turismo na gestão pública do Brasil. É retrocesso atrás de retrocesso. Eu nem estou falando por conta de pandemia, e sim pelas declarações, pelas políticas, pela forma que se gere o turismo em âmbito federal no nosso país. O nosso tema é formação e qualificação, mas é impossível separar isso de grandes ações de políticas públicas”.

A professora da USP constrói a visão mercadológica a partir da análise de dados, mas também do convívio com alunos do curso de Turismo, de quem ela afirma aprender muito. Relembrando o quadro pré-pandêmico, Aldrigui compartilhou a alegria de ensinar para salas de aulas com cada vez mais diversidade de gênero, orientação sexual e raça. 

Além das perdas e dificuldades evidentes do setor por causa da pandemia da Covid-19, Aldrigui destacou o efeito negativo que o ensino remoto teve na expressão identitária dos jovens: ”Muitos dos meus alunos que eram muito criativos em sala de aula e tinham muita colaboração se afastaram ou têm uma postura menos interativa porque estão sendo vigiados o tempo todo dentro de casa. Nós não temos conseguido um ambiente seguro para que eles possam se expressar”. 

No momento de retomada das atividades, a pesquisadora se preocupa que o efeito do conservadorismo sob o isolamento social se reflita nas contratações. Ela teme que o mercado receba apenas aqueles que mantiveram os privilégios durante a pandemia – homens, cis, brancos e heterossexuais de classe média. 

O diretor de vendas e marketing do Fairmont Rio de Janeiro, Michael Nagy, somou com a visão do contratante. Ao reafirmar o pilar de inclusão da rede Accor, Nagy explicou como as empresas podem impactar positivamente a vida pessoal dos funcionários: ”Quando você dá ao colaborador a liberdade de sem quem ele é, isso se reflete na qualidade do serviço e é percebido pelo cliente. É uma energia transformadora. As empresas têm uma responsabilidade muito grande de acolhimento. Muitas pessoas não podem ser quem são na vida pessoal, e quando veem que têm liberdade no trabalho, isso abre horizontes”.

A 4ª Conferência Internacional da Diversidade e do Turismo LGBT tem como patrocinadores masters a companhia aérea chilena Sky Airlines e o estado do Mato Grosso do Sul. Como Destino Convidado Internacional, Jungfrau, na Suíça. Já o Destino Nacional Convidado é o estado de São Paulo. Os patrocinadores são a NGLCC Global e Diversa Turismo.

Entre os apoiadores do evento estão: Air Canada, Visit Argentina, Bahia, Canopy, Encantos do Jalapão, Espanha, Fairmont Rio, Seychelles, Mondoramas, Orinter, Mônaco, Provence-Alpes-Côte d’Azur, Pullman Ibirapuera, Cidade de São Paulo, Stoli, Tulip Inn e Visual Turismo.

Nos Apoios Institucionais são: ABAV, Aliança Nacional LGBTI+, Brazilian Luxury Travel Association, Braztoa, Festival Mix Brasil, FESTURIS, Fórum de Empresas e Direitos LGBT+, IGLTA, Movimento Supera Turismo Brasil, Museu da Diversidade, Rio Convention & Visitors Bureau, Visite São Paulo e WTM.

O mídia partner do evento é o Panrotas e as câmaras apoiadoras: Cámara de Comércio LGBT Argentina, Cámara de Comércio y Turismo LGBT y Diversidad de Chile, Cámara de Comércio LGBT de Colombia, Cámara de Comércio Diversa Costa Rica, Cámara LGBT de Comércio Ecuador, NGLCC, Cámara de Comércio Inclusiva del Paraguay, Cámara de Comércio LGBT de La República Dominicana, Cámara de Comércio & Negocios LGBT de Uruguay e Federación Mexicana de Empresarios LGBT+.

Entre os agradecimentos: Centro Cultural da Diversidade, Secretaria Municipal da Cultura de São Paulo, Secretaria Municipal de Turismo de São Paulo e Sebrae.

 

Matéria escrita por
Manoela Caldas
Jornalista do Comitê de Comunicação da Câmara LGBT do Brasil

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *