A carência e importância de produtos para o público feminino no turismo

É preciso falar sobre a representatividade feminina no turismo, e é por isso que a 4ª Conferência Internacional do Comércio e Turismo LGBT, debate hoje, quarta-feira (18), sobre as “mulheres e o turismo diverso”, tema pouco explorado por canais de comunicação, mas de grande importância, é necessário mostrar que assim como os homens as mulheres fazem viagens sem acompanhante ou acompanhadas de suas parceiras.

Falam sobre o tema, Dana Piccoli, conhecida por ser escritora de entretenimento e viagem, palestrante internacional, crítica da cultura pop e podcaster. Gabi Torrezani, formada em Audiovisual pela USP, ativista LGBT+, casada há 6 anos com Fabia Fuzeti, elas juntas compõem o perfil ‘Estrangeira Viagens’ no Instagram, onde compartilham momentos de suas viagens. E Letícia Santana, que é executiva de vendas da San Francisco Travel Association.

Os destinos e as empresas precisam ter a mente aberta para enxergar hóspedes em potencial, criar pacotes e viagens direcionados para os diversos grupos de pessoas , “É importante que as empresas sempre façam o marketing para pessoas LGBT’s, nunca se es esqueçam de todas as pessoas que esse grupo representa, incluindo mulheres lésbicas e bissexuais e transexuais” – diz Danna. 

Deixando claro a serenidade e preocupação referente a mulher diversa, relacionada a uma situação real de restrição a expressão e afeto comenta Gabi: “Minha primeira viagem com a Fabia, em nosso primeiro ano de namoro foi para o Egito, sabíamos que a bixesualidade lá é considerado crime, e que consequentemente duas mulheres acompanhadas não seria tão bem visto,  mas não imaginávamos o quanto, a experiência foi péssima, pois tivemos que mentir e voltar para o armário, tínhamos que ouvir questionamentos estranhos e ameaçadores relacionados ao porque não estávamos acompanhadas de um homem”. Relacionado a experiências ruins para o público feminino em geral, em seu Instagram dedicado a viagens a mesma comenta da importância das empresas em entender as camadas da mulher viajante e que vai muito além dos destinos dedicados ao público gay. 

Existe a carência de destinos e pacotes para o público feminino, a compra é sempre feita para destinos relacionados a viagens consideradas para pessoas heterossexuais ou focada em homens homossexuais e não especificamente para mulheres. Por isso, existe certa invisibilidade lésbica com relação ao ocupar os espações destinados a LGBT’s, por não se sentirem inclusas, passam a se identificar mais com o turismo hétero do que com o turismo LGBT+ friendly.

Como mulher bixesual nega, Letícia mostra-se empenhada para a implantação deste público no contexto social e turístico, destacando a falta de representatividade,  “Ainda existe uma barreira muito grande pois tem empresas que não assumem que em seus cargos existem essas mulheres tão importantes, o índice de representatividade de mulheres LGBT+ no turismo é bem menor, pois muitas vezes não é divulgado” – destaca Letícia. 

É preciso estar incluída na conversa, tema destacado na fala de todas, “A gente precisa ocupar esses espaços, a gente precisa de mulheres no planejamento das coisas, na vitrine, na linha de frente, é importante que as mulheres falem por si mesmas”, fala Letícia. “É preciso de uma pesquisa assertiva para esse público, junto da divulgação e interesse de outros canais LGBT’s, completa Gabi. 

O turismo precisa trabalhar cada vez mais em relação a polarização e a diversidade de pessoas, para que seus destinos sejam um local de acolhimento, inclusão e confiança para esses grupos. É preciso que esses canais entendam e conheçam mais sobre a diversidade e principalmente que se informem sobre as mulheres diversas, qual perfil cada uma se enquadra e o porque elas viajam.

A 4ª Conferência Internacional da Diversidade e do Turismo LGBT tem como patrocinadores masters a companhia aérea chilena Sky Airlines e o estado do Mato Grosso do Sul. Como Destino Convidado Internacional, Jungfrau, na Suíça. Já o Destino Nacional Convidado é o estado de São Paulo. Os patrocinadores são a NGLCC Global e Diversa Turismo.

Entre os apoiadores do evento estão: Air Canada, Visit Argentina, Bahia, Canopy, Encantos do Jalapão, Espanha, Fairmont Rio, Seychelles, Mondoramas, Orinter, Mônaco, Provence-Alpes-Côte d’Azur, Pullman Ibirapuera, Cidade de São Paulo, Stoli, Tulip Inn e Visual Turismo.

Nos Apoios Institucionais são: ABAV, Aliança Nacional LGBTI+, Brazilian Luxury Travel Association, Braztoa, Festival Mix Brasil, FESTURIS, Fórum de Empresas e Direitos LGBT+, IGLTA, Movimento Supera Turismo Brasil, Museu da Diversidade, Rio Convention & Visitors Bureau, Visite São Paulo e WTM.

O mídia partner do evento é o Panrotas e as câmaras apoiadoras: Cámara de Comércio LGBT Argentina, Cámara de Comércio y Turismo LGBT y Diversidad de Chile, Cámara de Comércio LGBT de Colombia, Cámara de Comércio Diversa Costa Rica, Cámara LGBT de Comércio Ecuador, NGLCC, Cámara de Comércio Inclusiva del Paraguay, Cámara de Comércio LGBT de La República Dominicana, Cámara de Comércio & Negocios LGBT de Uruguay e Federación Mexicana de Empresarios LGBT+.

Entre os agradecimentos: Centro Cultural da Diversidade, Secretaria Municipal da Cultura de São Paulo, Secretaria Municipal de Turismo de São Paulo e Sebrae.

Matéria escrita por Peter Silva – Comitê da Conferência Internacional da Diversidade e do Turismo LGBT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *