COMPARTILHAR
"A Feia Lulu": Saint Laurent e Fause Haten no palco

O estilista, dramaturgo, ator, cantor e artista Fause Haten apresenta dois de seus espetáculos no Teatro Eva Herz, dentro da Livraria Cultura do Conjunto Nacional, na Avenida Paulista. Com estreia prevista pare este sábado, dia 4, às 21 horas “A Feia Lulu”, mescla fatos da vida de Haten com passagens da biografia do estilista francês Yves Saint Laurent (1936-2008).

A montagem, que conta com o apoio da Câmara de Comércio e Turismo LGBT do Brasil, fica em cartaz no teatro até o dia 19 de agosto (sábados às 21 horas e domingos às 19 horas), com ingressos a R$ 70,00. Para associados e amigos da Câmara, o ingresso terá um desconto de 50% no valor da inteira. Para participar basta enviar nome e RG por meio do nosso portal.

A montagem traz a personagem de quadrinhos “La Vilaine Lulu”, que foi criada por Yves Saint Laurent em 1953 (época que ele ainda trabalhava na Christian Dior) e publicado em 1967. Lulu é um nome que une a primeira sílaba do nome de sua mãe Luciene e de Lúcifer. A palavra “Vilaine” pode ser traduzida como desagradável, feia, má, arteira, malandra, desobediente, levada ou vil.

A “Feia Lulua” é uma baixinha, atarracada e gorducha. Ela teria tudo para ser uma menina solitária, retraída e infeliz. Mas Lulu tem uma auto estima invejável. Se ela fosse analisada como uma adulta poderia ser chamada de maléfica, demoníaca ou sádica. Mas ela é apenas uma criança de 4 anos de idade que age com seus instintos. Se ela quer algo que ela não tem, ela apenas vai e pega. Se ela tiver uma rival no amor ela pode, por exemplo, queimá-la viva. Se brigar com uma amiga ela pode envenená-la. Lulu vive em um mundo onde a morte e a perversidade tem outros pesos e medidas. Ela desconhece regras e proibições.

Com Haten no palco estará a atriz Olivia Martins, convida especial para as apresentações.

Lili Marlene – O musical
A montagem pode ser considerada um musical punk. Um anti musical que utiliza a performance e as novas tecnologias para falar das “tatuagens involuntárias da alma”. As marcas adquiridas na vida e com as quais se tem de aprender a conviver. Lili é um ator transformista. Ele passou sua vida afastado de sua avó Marlene, uma atriz hollywoodiana dos anos 30. Assombrado pelo pai violento, de quem foge aos 13 anos de idade, ele inicia a sua saga pelo mundo.

Lili Marlene é o primeiro musical autoral da dupla Haten & Cortada. Com texto e letras de Fause Haten, música e arranjos de André Cortada, materializa um projeto antigo da dupla de escrever musicais e que sobem ao palco juntos para nos presentear.

O musical fica em cartaz do dia 1º ao 30 de setembro no Teatro Eva Herz, dentro da Livraria Cultura do Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, aos sábados às 21 horas e aos domingos às 19 horas. Ingressos a R$ 70,00 (inteira).

Serviço
A Feia Lulu
Teatro Eva Herz, dentro da Livraria Cultura do Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, 2.073.
Telefone: 11 3170-4059. 164 lugares. Sábados 21 horas e Domingos 19 horas. Ingressos: R$ 70,00 (valor integral).
Texto e direção: Fause Haten / Com Fause Haten e Olivia Martins / Duração: 80 minutos / Classificação: 14 anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here